blogger | gmail | blogs | os autores

Futebol - Perspectivas

Ainda a propósito do post anterior.
Caso 1- A Argentina, uma das grandes favoritas a vencer este Mundial e talvez a melhor selecção em valor individual dos jogadores, foi eliminada dos quartos de final. E logo por 4-0 !!!.
Reacção dos argentinos: Foram receber a equipa ao aeroporto e .... aplaudiram, abraçaram, festejaram e agradeceram a todos os elementos da equipa (jogadores, treinadores, directores, equipa médica, etc) pelo esforço que fizeram na representação do seu país. E quanto ao Treinador? Pediram-lhe para continuar no cargo o tempo que quisesse.
Caso 2- Também nos quartos de final a Espanha, equipa que joga normalmente com dois avançados (Villa e Fernando Torres - dois dos melhores do mundo) estava empatada 0-0 com o Paraguai. E o que faz o treinador? Entra mais um avançado, claro, dizem os nossos "especialistas" de futebol. Não, não, tira um dos melhores avançados do mundo e entra .... um médio.Um escândalo.Resultado: Espanha ganhou 1-0.
Reacção dos comentadores televisivos portugueses: Antes do golo - "Os jogadores do meio-campo espanhol parece que se andam a atropelar uns aos outros"; Depois do golo - "A maior posse de bola dos espanhóis permitiu-lhes ter mais tempo para organizar o jogo e criar situações de golo com maior frequência". Hããã, digo eu.E se um treinador português fizesse o mesmo? Pergunto eu.
Reacção de um comentador espanhol (por acaso era o Camacho, que chegou a ser falado para treinar a selecção espanhola): Festejou "aos berros" o golo espanhol, de tal forma que até apareceu no YouTube a sua comemoração. Pergunto eu: O Oliveira teria a mesma reacção? Ouviram algum "especialista de futebol português aos berros a festejar os golos da nossa selecção? Eu não.
Perspectivas.

4 Comments:

  1. R de Rui said...
    Pois...Sobre os comentadores estamos conversados - são os maiores, chutam sempre com o pé que têm mais à mão e nunca os ouço dizer que se equivocaram.
    João Paulo Santos said...
    Banderas,

    Isso do Torres ter saído (que não tem feito nada de especial neste mundial, um pouco como o nosso Ronaldo) creio que não pode ser comparado com a saída do Hugo Almeida.

    Nós só estávamos a jogar com o Hugo Almeida contra a Espanha (enquanto que eles jogaram/jogam com Villa e o Torres), o Ronaldo quase nada fez tirando um livre e quando o colocam a ponta-de-lança, como foi o caso, é uma nulidade.

    Voltando ao jogo com o Paraguai:
    E depois há o Cardozo... enfim... um penalti falhado... hehehe.

    Eles também falharam um penalti depois de terem marcado... hehehe.

    E depois (esta ainda tem mais piada) o árbitro não marca um super-penalti na marcação da repetição do penalti... perceberam?... hehehe.

    Quanto a comentadores eu gosto mesmo é do Carlos Azenha... desculpem este comentador é treinador... mas comenta mais do que treina.
    João Banderas Nogueira said...
    Eu diria mais: O penalti do Cardozo devia ser repetido porque estavam uns cinco jogadores espanhóis dentro da área antes do remate.
    A questão do Hugo Almeida é só para salientar o tirar um avançado para pôr um médio, coisa que em Portugal faz muita confusão ás pessoas. Havia um treinador romeno do Sporting que tinha a mania de fazer isso e até foi campeão. Bom, mas também tinha o Jardel, o que ajudava bastante.
    Rui Pedro Nazário said...
    Apenas uma ou duas notas:
    Pai, o defesea direito melhor do mundo a que faço referência é o Zé Bosingwa (acho que é assim que se escreve);
    Quanto ao núcleo duro, já falámos nisso mas até podia ter sido possível. O Braga de facto tinha um conjunto de jogadores interessantes. A realidade hoje é bem diferente do FCPorto de 2003 amigo João Paulo. Convocar o Nuno Gomes era forçadito diga-se apesar de eu gostar dele. O Carlos Martins jamais o convocaria pela instabilidade emocional, pelo egoísmo e pela fragilidade física. Ou seja o núcleo quase duro fica reduzido a 2, aliás os que foram (e bem) convocados. Até porque aquilo é só estrangeiros. bjo

Post a Comment