blogger | gmail | blogs | os autores

PumPumPum


Sei que sou um excelente dançarino, no meu bairro há quem me chame de Fred Astaire , mas, apesar dos meus dotes, não é frequente “safar-me” nas discotecas, será porque não se dança nas discotecas, será uma questão de abordagem, atitude?


Talvez seja a atitude, até porque tenho tido alguma dificuldade em me divertir nas discotecas, compreendo que a diversão requeira algum sacrifício, no pain no gain, e é por isso que mesmo quando o som é um techno acid house trance progressivo, vou sorrindo e acenando ao estilo dos pinguins do Madagáscar. Depois de alguns pumpumpums, vejo-me obrigado a pagar 5€ por um vodka do Lidl, para conseguir suportar mais uma hora de divertimento.


Numa destas noites de êxtase, já cansado, pensava em não voltar para casa sozinho, foi então que vi junto ao balcão, de vestidinho branco e com um ar muito asseadinho, uma menina que aparentava ser uma boa companhia. Ela olhou para mim durante quase 2 segundos, tinha mesmo que avançar. A abordagem é importante e eu gosto de ser original, mas decidi optar pela abordagem padrão, aquela de oferecer um copo, é parolo, eu sei, mas se resulta com os outros… Parti em direcção à menina, convicto de que iria ter sucesso, mas a frase: “queres que te pague um copo?” parecia-me fraca, até porque ela já tinha um copo na mão… Cheguei perto dela, sorri e ela sorriu para mim, respirei fundo e gritei-lhe ao ouvido: “QUERES QUE TE PAGUE UM COPO, OU PREFERES O DINHEIRO?”


Percebi de imediato, que sede ela não tinha… Rachmarinoff com sumo de limão é refrescante, mas arde nos olhos, aqueles segundos com a vista enevoada foram o suficiente para perder de vista a minha amiga, que nem sabe o que perdeu… mais de 5€…

3 Comments:

  1. Rui said...
    Eu estou espantado. Desconhecia as capacidades deste André na escrita. Francamente, sorri, voltei a sorrir e reli o texto porque está cheio de humor e descreve a cena sem ser demasiado explicativo. E gostei. Gostei muito. E não foi só deste autor. Vou comentar os restantes "trabalhadores" deste "block".
    João Paulo Santos said...
    Naza on Fire!
    Muito bom, muito bom mesmo!
    O teu irmão mais velho já me tinha alertado para a tua qualidade e mesmo já tendo lido a tua história há uns dias quando me deste a oportunidade de o fazer no messenger... mesmo sendo a segunda vez que a li...tem imensa intensidade.
    Arrisco a dizer que nos fizeste a todos "colocarmo-nos" na tua pessoa e imaginar a cena.
    Abraço
    JPS
    Rui Pedro Nazário said...
    Brilhante irmão. Qual Ricardo Araújo Pereira. Humor, actualidade, gestão de conflitos, economia, psicologia, música e dança, enfim, uma panóplia de temas num só conto.

Post a Comment